7 dicas de quem teve bebê dorminhoco

7 dicas de quem teve bebê dorminhoco

Oie, tudo bem com você?

Muitos pais questionam quando vão conseguir dormir uma boa noite de sono novamente, especialmente depois que o bebê nasce. Não é fácil aguardar até que os pequenos encontrem um bom ritmo de sono e muita angústia pode surgir dentro das famílias. 

Por isso, hoje trouxe algumas dicas que eu aprendi pesquisando sobre o assunto e aplicando com meus dois filhos que têm personalidades totalmente diferentes, mas que seguindo algumas orientações, sempre dormiram bem:

1. Conheça os sinais de sono

No início, o bebê dorme por várias horas e, quando acordado, está mamando.

Com o passar dos primeiros meses, apresenta poucos momentos acordado, mas logo precisa dormir de novo. 

Se o bebê chega ao choro, ele já está estressado, ou seja, já passou da hora de dormir e ele precisa ser acalmado primeiro, antes de dormir.

Além do bocejo, outros sinais também podem indicar que é momento de colocar o bebê para dormir: agitação excessiva de braços e pernas, riso excessivo, olhar fixo para o ambiente ou olhar intranquilo, mãos esfregando o rosto, as orelhas e a cabeça, entre outros.

Ajuda muito identificar a janela do sono, ou seja, o tempo que o bebê fica acordado entre uma soneca e outra. Abaixo veja a tabela com o tempo médio de janela do sono em cada idade, mas importante lembrar que cada criança tem seu tempo e essa janela deve ser observada de acordo com os sinais citados acima:

IDADEJANELA DO SONO
0 a 1 mêsmáximo 40 minutos
1 a 2 meses40 a 60 minutos
2 a 3 meses1h a 1h20
4 a 6 meses1h20 a 1h45
6 a 8 mesespor volta de 2h30
8 a 10 meses2h30 a 3h30
12 meses3 a 4h
18 meses4 a 6h
2 anos5 a 7h
3 anos6 a 8h
4 anos6 a 12h

2. Rotina

Busque uma rotina. Desde cedo, estabeleça uma organização dos acontecimentos do dia (C.A.S.T  =  comida, atividade – banho, trocar fralda e etc, soneca e enquanto bebê dorme um tempo para você), pois assim você conseguirá identificar as necessidades do bebê de cada momento com mais facilidade.  Essa ordem é importante para desassociar o sono da alimentação, então desde que o bebê chega da maternidade, sem forçar, você pode depois da mamada falar mais alto, trocar o bebê, deixar o ambiente mais iluminado para que ele tenha o tempo de atividade e entenda que aquele momento é dia. O tempo de atividade (janela do sono) nessa fase dura em torno de 30-40 minutos. Você vai ver como isso ajudará nos meses seguintes.

A rotina também é boa para os bebês, porque as atividades ficam previsíveis e geram menos angústias. Para entender o quando a rotina é importante para seu bebê, faça o teste de personalidade e conheça as características do seu bebê  

Importante dizer que jamais o bebê pode ficar chorando. A rotina é benefício para família e o bebê precisa ser respeitado.

3. Ritual para dormir

Sinalize o momento de dormir com um ambiente mais escuro, mais silencioso, uma roupa adequada para esse momento. Isso ajudará ele a assimilar as condições que o permitem relaxar e é respeitoso em relação ao seu momento de dormir. 

Ruído branco, charutinho, massagem e banho de ofurô podem acompanhar esse momento. O charutinho pode ajudar a minimizar os despertares por reflexo de moro (leia o post “Por que meu filho acorda ao colocar ele no berço?” para entender o que é o reflexo de moro”.

4. Cochilos durante o dia

Respeite as sonecas diurnas do bebê. Elas são fundamentais para um bom sono noturno.

Aos poucos, o bebê vai estabelecendo a vigília (período acordado) durante o dia, mas as sonecas diurnas precisam ser respeitadas enquanto o bebê tiver essa necessidade. Você vai identificar essa fase quando o sono diurno começar a prejudicar o noturno. Aqui em casa, o Gustavo e Murilo fizeram soneca diurna até 2 anos.

É frequente a crença de que, se reduzir o tempo da soneca do dia, o bebê “terá mais sono à noite”. O resultado disso é um bebê mais irritado e com dificuldade de iniciar e manter o sono noturno. Mas claro, esse soneca tem que ser até no máximo 17h, a soneca após esse horário, provavelmente, prejudicará o sono noturno do seu filho.

5. Temperatura, luminosidade e atividade

Mantenha um ambiente agradável no quartinho do bebê. Se ele for dormir com fome, sentindo frio ou calor ou estressado, não terá uma noite tranquila. Próximo ao horário de dormir, reduza as atividades, deixe a casa mais silenciosa e escura.

A cama deve ser adequada, plana, com colchão firme, sem objetos soltos como brinquedos. Evite tudo o que for estimulante, como telas (celulares e tablet), na cama ou perto da criança na hora de dormir. O uso de protetor de berço não é recomendado e para proteger do frio, para evitar o risco de sufocamento por cobertor, recomenda-se o uso de casulos.

6. Amamentação e rotina de refeições

Se você amamenta, evitar associar o sono às mamadas e para isso, as dicas que citei no item rotina podem ajudar. Quando o bebê aprende a dormir independente do peito, você consegue ter mais autonomia e o papai pode participar desse momento de colocar o bebê para dormir também.

Uma técnica que ajuda muito também é a mamada dos sonhos, que você oferece quando o bebê já está dormindo, por volta das 23h, e ajuda a evitar que ele acorde com fome no meio da madrugada. Essa técnica funcionou com o Gustavo, mas não funcionou com o Murilo, ele não mamava dormindo de jeito nenhum,  então com ele ajustei o sono da noite para 22h, e como o Gu, desde 1 mês já dormia 5-7h noturnas sem despertares.

Para os bebês que já tem uma rotina de refeições, busque um cronograma tal que o bebê não esteja com fome e também não tenha se alimentado demais na hora de dormir. Evite também alimentar o bebê quando ele estiver com sono, pois isso pode atrapalhar tanto o sono quanto a alimentação dele. 

Veja sugestão de rotinas mês a mês para o 1º ano de vida considerando tempo de janela do sono médio por idade.

7. Cama compartilhada / Babá eletrônica

O conceito de cama compartilhada gera ainda muita divergência, algumas pessoas gostam e outras não e não é recomendada pela Sociedade Brasileira de Pediatria por conta do risco de sufocamento.

Vou dividir como fiz aqui em casa e como funcionou para nossa família:

No meu caso, a cama, ou quarto compartilhado, acabava atrapalhando o sono dos bebês, porque qualquer movimento deles, eu acordava e interferia no despertar, sendo que a maioria das vezes eles dormiam de novo, sem nem resmugar. Esse tipo de interferência, que não é necessária, acaba fazendo o bebê acostumar e seu sono fica associado a isso.

Então o que funcionou para mim foi deixá-los comigo no carrinho berço ao lado da cama e no berço deles a partir de 1 mês, com a porta aberta e a babá eletrônica. Assim eu acordava a cada barulho deles, mas só ia até o quarto se realmente percebesse que eles estavam acordados e precisando de mim. 

No início, dormir com os pais pode servir de estímulo ao vínculo e ao aleitamento, mas a família precisa receber toda a informação necessária sobre os prós e contras do procedimento, para uma tomada de decisão com autonomia. No final, essa é uma escolha individual. 


Não existe receita fixa, mas espero que essas dicas te ajudem a tornar essa fase um pouco mais leve.

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Até jajá!

Gi

Compartilhe este conteúdo
Fechar Menu