Como montar um enxoval minimalista?

Como montar um enxoval minimalista?

Oiê, tudo bem com você? 

Tenho recebido alguns pedidos sobre itens de enxoval para bebê e resolvi compartilhar algumas dicas para montar um enxoval minimalista e funcional!

O primeiro ponto a considerar quando pensamos em um enxoval minimalista, não é só a questão de economia financeira, mas de sustentabilidade também. Afinal, tudo que compramos e não usamos ou usamos pouco, pode gerar lixo. E quando se trata de bebês, algumas fases passam muito rápido e por isso, para a maioria dos itens, qualidade vale mais do que quantidade. 

Com foco na praticidade e com a minha experiência após o enxoval do Gu e do Muri, quero ajudar você a elaborar um enxoval minimalista que dê conta de tudo o que a criança e os pais vão precisar, sem gastar em excesso nem passar nenhum aperto. Vamos lá?

O que considerar primeiro? 

A ideia é simplificar e focar no que é essencial. Para você planejar um enxoval que atenda às suas necessidades, vale considerar dois princípios básicos:

  1. A estação em que o bebê vai nascer

No Brasil, a gente sabe que a principal diferença é entre verão e inverno e, ainda assim, em algumas regiões o frio é ameno. Com isso em mente, considere a estação em que seu filho vai nascer. Se for no verão, dê preferência às roupinhas mais leves em tamanho menor e opte por poucas peças de frio. No inverno, você deve privilegiar toucas, mantas, meias e macacões mais grossos.

Já se seu filho nascer no inverno, invista em roupas menores de frio e calcule mais ou menos quantos meses ele terá quando chegar o verão e compre mais roupas de calor para aquela idade. 

  1. O tamanho ideal para o recém-nascido

Evite comprar muitas peças no tamanho RN, para recém-nascidos. Isso porque algumas crianças nascem maiores e podem nem chegar a usá-las ou usar muito pouco. 

Lista de itens

Roupas

Preparei um checklist com as quantidades de cada peça de roupa que você vai precisar de acordo com a estação que seu bebê nascer para uso de 0 a 3 meses. Clique no link abaixo para baixar o documento, salve ou imprima para utilizar quando for planejar seu enxoval). 

Compro de acordo com esse checklist e vou repondo as roupas conforme bebê vai crescendo e considerando o que ele vai ganhando, então só compro o que precisar. 

Vale a pena só investir em look mais estiloso quando tiver um evento marcado para usar porque no dia a dia você vai priorizar roupas mais confortáveis e não vale a pena comprar para guardar porque a chance de perder é muito grande. 

Móveis

Para quem vai montar o quarto do bebê durante a gestação, vale pensar no longo prazo e ter móveis que possam ser usados quando seu filho crescer — como um guarda-roupa em vez da cômoda, berço que vira cama. 

  • Berço ou cama: o berço traz mais segurança, mas é usado por pouco tempo. Por isso, aqui vale a pena investir em bercinho que vira cama, você consegue usar por muitos anos (o Gu usou até 4 anos). A cama montessoriana dura mais, porém, não é tão ergonômica. Então, entenda o que traz mais tranquilidade para a sua família;
  • Carrinho: compacto que cabe em qualquer porta-malas, fácil abertura e fechamento (se possível com uma mão), que tenha inclinação total para sonecas, capota reversível e cesto para bagagem;
  • Cômoda: A cômoda pode ter um custo mais em conta, mas se você puder investir em um guarda-roupa desde o início, você evita ter que trocar depois;
  • Banheira: eu gosto de banheira com suporte no quarto, se tiver espaço. O tempo de uso vai depender da criança. Com o Gu usei até 2 anos, com o Muri 9 meses e isso dependeu da personalidade deles, Gu mais cauteloso e nunca molhou nada, com o Muri parecia que eu estava na piscina, eu saia molhada e o quarto ensopado, logo precisei passar para o chuveiro. No chuveiro, usei banheira inflável e deu super certo para ele;
  • Poltrona de amamentação: Eu acho meio bobagem, tive na gestação do Gu e não usei. Na prática, amamenta no sofá, na sua cama, em pé, comendo, nem sempre dá pra sentar na cadeira. Então não comprei na gestação do Muri e deu certo. Mas, se você quiser investir em uma, você pode escolher uma que fique bem com a decoração da sua sala depois dessa fase;
  • Cadeira de alimentação: gosto dos modelos portáteis porque carrego para todos os cantos, consigo desacoplar a mesa de apoio e colocar a criança com a família e aproveitar a cadeira por muito mais tempo. Opte por uma cadeira sem tecido, sem cantinhos para acumular sujeira e de fácil higienização porquê a bagunça será grande;

Acessórios

  • Cadeira de balanço, tapete de atividade: o uso será por pouco tempo, mas é de grande ajuda. Por isso vale a pena tentar comprar esses itens de desapego ou alugar. 
  • Cercado: tive com os dois, mas quase não usei, eles não paravam lá de jeito nenhum. O que funcionou para mim foi colocar tapetes de EVA no chão e deixar o ambiente seguro para a criança explorar.
  • Sling e canguru: Tentei utilizar vários modelos, mas como sempre dirigi e andei mais de carro, não teve muita função para mim. Mas se você anda pé com o bebê, tem parques e praças perto de casa, talvez seja interessante; 
  • Mochila e bolsa térmica: Mochila com várias divisões para uma organização prática das coisas do bebê, de cor neutra e que combine com o estilo da mãe e do pai, porque vocês carregarão esse item para todo canto por muito tempo. Comprar a bolsa com estampas infantis e combinando com o enxoval do bebê pode fazer com que você enjoe rápido. 

Itens que foram importantes e uso até hoje: 

  • Termômetro de testa; 
  • Esterilizador de microondas; 
  • Aspirador nasal; 
  • Nebulizador; 
  • Babá eletrônica;
  • Bomba extratora de leite materno;
  • Colher de silicone para introdução alimentar;
  • Prato com divisória para introdução alimentar;
  • Bowl e vaporeira para introdução alimentar;

Cada vez mais percebo que a escolha de algumas coisas é muito pessoal e de acordo com o contexto de vida que você leva. Mas compartilhei aqui o que funcionou comigo com os dois bebês e espero que essa lista te ajude no seu planejamento consciente também, sempre considerando seu contexto de vida.

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar!

Até jajá!

Compartilhe este conteúdo
Fechar Menu