Morte súbita do lactente: como prevenir?

Morte súbita do lactente: como prevenir?

A Síndrome da morte súbita do lactente, representa a morte do bebê durante o primeiro ano de vida de maneira abrupta e sem causa aparente, geralmente durante o sono. 

Essa síndrome é rara no Brasil, acomete 0,8 em cada 1000 nascidos vivos e os estudos ainda não chegaram a uma causa específica. Entretanto, há alguns fatores de risco que estão diretamente relacionados à essa síndrome, como o tabagismo materno e paterno e as condições em que a criança dorme. 

Existem 3 recomendações fundamentais para sua prevenção, baseadas em resultados de pesquisas científicas e chanceladas pela Academia Americana de Pediatria e pela Sociedade Brasileira de Pediatria: 

1- Dormir de barriga para cima

Antigamente os bebês eram colocados para dormir de lado para evitar a aspiração do leite no caso regurgitação, o que é comum nos primeiros meses de vida, mas os especialistas afirmam que os reflexos de deglutição são intactos nessa fase e os estudos mostram que essa prática não aumenta o risco de morte por broncoaspiração. Portanto, o ideal é colocar o bebê para arrotar antes de dormir e colocá-lo para dormir com a barriga para cima. 

Se o bebê tem refluxo gastroesofágico, o uso de travesseiro anti refluxo é recomendado. Aliás, Gu e Muri tinham refluxo e esse travesseiro ajudou muito.

2- Manter os recém-nascidos em ambiente sem contato com cigarro antes e após o nascimento.

O tabagismo durante a gestação e o primeiro ano de vida aumenta o risco de morte súbita em 2 a 4 vezes. Mesmo o hábito de fumar do pai pode influenciar este risco e, portanto, deve ser evitado. 

No caso da mãe fumante, o hábito deve ser abandonado durante a gestação e por até 6 meses após o nascimento do bebê. 

3- A cabeça do bebê deve ficar descoberta durante o sono

Os estudos mostram que em 16 a 22% dos casos, os bebês foram encontrados com a cabeça coberta ou enrolada nas cobertas. Por isso, o uso de toucas e outros acessórios que cubram a cabeça não é recomendado. Além disso, é ideal que os pés do bebê fiquem encostados na borda do berço, evitando que ele escorregue para baixo da coberta. 


Além dessas, que são essenciais, há outras recomendações que também podem ser adotadas a fim de evitar esse mal: 

– Se o seu bebê não tem refluxo, evite o uso de travesseiros

– A superfície onde o bebê dorme deve ser firme, coberta com um lençol de elástico e sem objetos soltos como almofadas, bichinhos de pelúcia, rolinhos, segura-bebês, protetores de berço e outros dispositivos que seguram o corpo em determinada posição;

– O hiperaquecimento ou a hipotermia estão relacionados a maior incidência de morte súbita, portanto é importante prestar atenção na temperatura do ambiente e não agasalhar demais ou de menos o bebê; 

– O uso de cobertores pesados também não é recomendado. Se estiver muito frio, agasalhe o bebê e utilize uma manta leve; 

– De acordo com a Academia Americana de Pediatria o uso de chupetas diminui o risco de morte súbita porque ajuda a abrir as vias aéreas. Seu uso não é obrigatório, mas pode ser considerado com esse objetivo. A Sociedade Brasileira de Pediatria orienta que, para crianças em aleitamento materno, oferecer a chupeta apenas após a estabilização completa da amamentação. Caso a chupeta caia da boca da criança após a mesma dormir, não é necessário recolocá-la. Além disso, não use chupetas penduradas no pescoço da criança e nem presas em sua roupa. Não insistir no uso da chupeta caso a criança recuse.

– A cama compartilhada é contraindicada pelo risco de acidentes durante o sono. Há uma recomendação de colocar o bebê para dormir, até pelo menos o sexto mês de vida, no quarto dos pais, mas em camas separadas, ou uma babá eletrônica com captação de som e imagem posicionada no berço do bebê, de modo que você veja e ouça o que acontece enquanto ele dorme, pode ser utilizada ao invés do quarto compartilhado. 


Essa é uma síndrome rara e que, muitas vezes, pode ser evitada. Eu sei que assusta mas não precisamos ter medo ou ir conferir a cada minuto como nosso bebê está durante o sono se essas medidas forem adotadas. 

Espero que esse conteúdo tenha te ajudado! 

Para acompanhar essa e outras dicas, siga-me no instagram @gibelarmino_

De mãe em mãe, construiremos um novo maternar! 

Até jajá!

Referências

Task Force on Sudden Infant Death Syndrome, Moon RY. SIDS and other sleep-related infant deaths: expansion of recommendations for a safe infant sleeping environment. Pediatrics. 2011;128(5):e1341-e1367. 

Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Medicina do Sono. Síndrome da Morte Súbita do Lactente. Documento Científico nº 4, outubro de 2018. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4546046/mod_resource/content/1/20226d-DocCient_-_Sindrome_Morte_Subita_do_Lactente.pdf 

Compartilhe este conteúdo
Fechar Menu